Make your own free website on Tripod.com
Blog Tools
Edit your Blog
Build a Blog
RSS Feed
View Profile
« April 2004 »
S M T W T F S
1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30
You are not logged in. Log in
Entries by Topic
All topics  «
Interessantes
ZonaNon
Descobrir weblogues
Bloco-notas
Estatisticas
Technorati Profile
Tirem-me daqui!
Tuesday, 6 April 2004
Novas tecnologias, novos metodos
Eis um texto que submeti para publicac?o no Boletim da UP:

A Universidade na sua miss?o de formar jovens tem hoje ao seu dispor um vasto conjunto de aplicac?es das novas tecnologias da informac?o e da comunicac?o, com que alias convivemos dia a dia. A resposta aos desafios que a Universidade enfrenta, massificac?o da procura, enfase na satisfac?o das necessidades individuais, globalizac?o da oferta, passa necessariamente pela sua utilizac?o racional.
O ensino e a aprendizagem s?o mecanismos complexos, largamente influenciados pelas novas tecnologias. O acesso a fontes de informac?o e a meios de comunicac?o em tempo real, na sala de aula, na biblioteca e em casa, colocaram a relac?o professor aluno num novo plano, em que o que esta em causa n?o e mais a transmiss?o de conhecimento mas sim a sua elaborac?o pelo aprendente. O professor deixou de ser a fonte de informac?o, sendo agora o catalisador do processo, cabendo-lhe dialogar com uma multiplicidade de estilos de aprendizagem e de inteligencias, que deve procurar compreender e enriquecer de tal modo que cada um dos seus alunos adquira na Escola os conhecimentos que lhe permitam desempenhar a profiss?o que escolheu e, essencialmente, continuar a aprender ao longo da vida.
A este desafio juntam-se os decorrentes da massificac?o do ensino, que se exige eficaz e eficiente, capaz de atingir os seus objectivos com o minimo de recursos. A boa utilizac?o dos recursos que o Pais coloca ao dispor da Universidade para o exercicio das suas actividades, o deve e haver com a Sociedade, e hoje uma quest?o central, e faz do combate ao desperdicio um objectivo a todos os niveis.
Uma Universidade agil, flexivel, sem desperdicios, transparente, socialmente empenhada, n?o se compadece com cursos desajustados das necessidades, com curriculos rigidos, com salas vazias, com aulas facultativas, com professores envolvidos em actividades em que as suas capacidades n?o s?o aproveitadas, com a sensac?o de que o Pais n?o conta com ela.
A tradicional segmentac?o de um curso em aulas teoricas, teorico-praticas e praticas pode hoje ser alargada a novos canais de comunicac?o e de trabalho cooperativo, nomeadamente na area do e-learning, onde e possivel uma infinidade de formatos de ensino/aprendizagem e de avaliac?o, e onde ha ainda muito caminho a desbravar. Ja n?o faz mais sentido que a Escola trate todos os seus alunos por igual, sem procurar adequar a cada um um conjunto de objectivos de aprendizagem especificos, presenciais ou n?o, exigir o seu cumprimento, e dai retirar evidentes economias.
Assim como n?o faz sentido que n?o use as novas tecnologias no planeamento da utilizac?o dos seus recursos e na sua monitorizac?o, atraves de uma ferramenta avancada de ERP(1) como faria qualquer empresa de dimens?o semelhante.
O ensino e a investigac?o agradeceriam.

(1) Enterprise Resource Planning.

Posted by frestivo at 9:26 AM BST
Post Comment | Permalink

View Latest Entries